sábado, julho 17, 2010

Vou-me embora pro Solar da Capivara.


Vou-me embora pro Solar da Capivara
Lá sou amigo do Presidente
Lá tive a mulher que eu amava
Que na cama não era silente

Vou-me embora pro Solar da Capivara
Vou-me embora pro Solar da Capivara
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência era uma aventura

De tal modo inconseqüente
Que um dia, o Bacurin, louco causídico
Advogado e falso demente
Vem a ser contraparente
Da cliente que nunca tive

E como farei ginástica
Jogarei sinuca na varanda
Farei churrasco de boi brabo

Subirei no escorregador
Tomarei banhos de piscina!
E quando estiver cansado
Deito na beira da grama
Mando chamar minha companhia
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
A inspetora vinha me contar

Vou-me embora pro Solar da Capivara
No Solar da Capivara tem tudo
É outra chácara
Tem pés de graviola
Caju, e castanha de montão
Tem piano na sala
Tem água de coco à vontade
Tem crianças bonitas
A Bel e a Bia são só alegria
Para a gente brincar
E quando eu estiver mais alegre
Mas alegre de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de te amar... e um trago tomar
— Lá sou amigo do Presidente—
Lá tive a mulher que eu amava
Que na cama não era silente
Vou-me embora pro Solar da Capivara.
Saudades daquela pequena Pasárgada
Ainda viva em minhas lembranças.

Baseado na intuição de Manoel Bandeira

2 comentários:

joelma disse...

Gostei desse lugar....Ha se eu pudesse ir junto!!!!

Anônimo disse...

Belíssimo!! BHTE